Polêmica: Projeto de Lei vai liberar a mulher do trabalho 3 dias por mês. Descubra o motivo!

A proposta é da Câmara dos Deputados e tem como objetivo afastar a mulher por 3 dias durante o mês no período menstrual dela. Assim, ela não precisará compensar as horas não trabalhadas. A medida está prevista no Projeto de Lei 6.784/16, de Carlos Bezerra, que acrescenta o artigo à CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).

A proposta foi baseada em uma noticia britânica, que diz “O afastamento do trabalho durante a menstruação tem respaldo cientifico e é defendido por médicos, levando-se em conta as alterações sofridas pelo corpo feminino durante esse período”, comentou o Deputado.

“Cerca de 70% das mulheres têm queda produtividade do trabalho durante a menstruação, causada pelas cólicas e por outros sintomas associados a elas, como cansaço maior que o habitual, inchaço nas pernas, enjoo, cefaleia, diarreia, dores em outros regiões e vômito”, continuou ele.

O projeto será analisado pelas Comissões de Defesa dos Direitos da Mulher; do Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços; de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Caso seja aprovado, ele irá para o Senado Federal.

Leia também!  Entenda, de uma vez por todas, o que é o Impeachment

Para Saber Mais: A menstruação é um fluxo de sangue liberado pelo revestimento interno do útero da mulher, que, normalmente, tem um ciclo de 28 dias, ocorrendo de forma contínua a menos que seja interrompido por uma gestação ou menopausa.

Reprodução: Google

A menstruação pode ser prevista a partir de manifestações que ocorrem antes da menstruação como dor de cabeça, cólica e irritabilidade. A essas manifestações dá-se o nome de TPM (Tensão Pré-Menstrual). Essa é uma Síndrome que interfere no sistema nervoso central.

Segundo médicos especialistas, a TPM atrapalha a vida pessoal e profissional da mulher por todo o mundo, já que gera essas alterações hormonais. Em geral, os sintomas da TPM aparecem na metade do ciclo menstrual e desaparecem até 2 dias após o início da menstruação. O diagnóstico costuma ser demorado, principalmente pela deficiência de exames que comprovem a sua existência.

Apesar de não ter tratamento exato, a TPM pode ser caracterizada como um quadro de sintomas que podem ser diminuídos com o tratamento correto, tal ação deve ser orientada por um médico especialista: o ginecologista.

Leia também!  Mudanças: emissão da CNH terá teste de drogas, além da aptidão física e mental

Com informações do UOL