A nova ‘Malhação’ e o assunto da adversidade

Reprodução: Google

A nova temporada de “Malhação” recebeu o subtítulo de “Viva a Diferença” e já está no ar. A nova fase é concebida por Cao Hamburger,  que é o criador de Castelo Rá-Tim-Bum (1994), a histórica produção da TV Cultura.

A direção fica por conta de Paulo Silvestrini.

Em “Malhação Viva a Diferença” não haverá um sujeito ou casal como personagem principal, muito menos triângulo amoroso, como vem acontecendo há bastante tempo.

No novo enredo, o destaque mostrará a amizade de cinco meninas diferentes que moram em São Paulo. Conheça-as:

1 – Keila (Gabi Medvedovski): é uma adolescente grávida que entra em trabalho de parto dentro do metrô, logo nos primeiros capítulos. De repente, ela é ajudada por outras quatro meninas que nunca tinha visto na vida, formando o quinteto principal.

2 – Lica (Manoela Aliperti): é uma jovem rica e com um estilo alternativo.

3 – Ellen (Heslaine Vieira): vive na periferia e é tão ligada em tecnologia que sabe até hacker sites, o que vai ser pauta para vários capítulos.

4 – Tina (Ana Hikari): é de origem japonesa e preza por essa cultura, além de curtir muito a arte, de forma geral.

5 – Benê (Daphne Bozaski): é a garota tímida que sonha em ter mais amigos.

Por onde será que anda o “Cabeção”, da novela “Malhação” da Rede Globo?

O que esperar da Nova Malhação?

Pela primeira vez em 22 anos, a Malhação deixou o Rio de Janeiro e passou a ser ambientada na capital paulista (São Paulo).

A amizade entre cinco garotas nasce a partir daí nasce uma experiência única e inesquecível: a gravidez de Keila no Metrô.

Quando a Keila entra em trabalho de parto é o momento em que as outras 4 personagens principais entram em cena, com o objetivo de ajudar a menina à dar à luz a um lindo menino”.

É com o nascimento desse bebê que inicia a amizade… Mas essa é uma amizade pouco provável já que todas possuem vidas bastante diferentes umas das outras.

Entre essas diferenças estão: classe social, personalidades e até mesmo as experiências de vida. Essa é a aposta em expressar um assunto tão polemico, mas pouco estudado nos dias de hoje: a adversidade.

Reprodução: Google

O convívio delas se baseia nas descobertas dos prazeres e das dificuldades de se conviver com pessoas diferentes. Essas diferenças dizem respeito à formação, à condição socioeconômica, ao lugar da cidade onde elas moram, onde convivem, a escola que frequentem, os amigos que elas têm“, revela o diretor.

Justamente nessa questão de diversidade, que foi um tema escolhido pelo diretor, as cinco protagonistas vêm de diferentes bairros, raças e classes sociais, ele mesmo conta.

Além disso, a trama também vai abordar o papel da mãe na adolescência, com o enfrentamento de desafios que são explícitos na maternidade precoce, o que valoriza ainda mais as diferenças existentes.

Com informações da globo e uol

Comente!

comentário