Ladrão tenta roubar bicicleta, sofre tortura e tem a testa tatuada: “Ladrão”

Reprodução: Google

Na última sexta-feira (9), dois homens foram presos sob suspeita de tatuar uma frase no rosto de um adolescente em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, conforme informações da Folha de S. Paulo.

Na testa do garoto de 17 anos foi escrito: “Eu sou ladrão e vacilão”.

Um deles é o tatuador Maycon Wesley Carvalho dos Reis, de 27 anos e o outro é um vizinho dele, o pedreiro Ronildo Moreira de Araújo, de 29 anos, que foram presos em flagrante e indiciados por tortura.

Conforme a secretaria de Segurança Pública, os dois confessaram o crime.

No Boletim de Ocorrência, os dois homens cometerem o crime depois que o adolescente tentou roubar uma bicicleta.

A tortura foi gravada com a câmera de um celular e o vídeo circulou em vários grupos de redes sociais.

Nas imagens é possível perceber que o adolescente não reage às provocações do tatuador e do vizinho. Em certo momento, um deles afirma: “Vai doer, vai doer”. Em outro, pergunta ao menino se ele quer tatuar e forçam a resposta: “ladrão”.

A família do adolescente acionou a polícia após reconhecê-lo nas imagens. E, para a família, o jovem é usuário de drogas e estava desaparecido desde o dia 31 de maio.

Já com os vídeos em mãos, investigadores seguiram até a Rua Jurubatuba, no centro da cidade, onde localizaram as vítimas, que, ao confessar o crime afirmaram que o fizeram “como forma de punição”.

Reprodução: Google

No dia seguinte (10), a juíza Inês Del Cid, da Vara Criminal de São Bernardo do Campo, decretou a prisão preventiva dos dois homens. Já o adolescente permanece desaparecido.

O advogado Ariel de Castro Alves, que é coordenador da Comissão da Criança e do Adolescente do Condepe (Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Humana em São Paulo), é preciso um acompanhamento sobre o caso, que é considerado “gravíssimo”.

“O vídeo circula desde ontem na internet e a polícia agiu corretamente. Submeter alguém à intenso sofrimento físico e psicológico configura tortura. Se ele estava tentando furtar ou roubar eles deveriam chamar a polícia e não torturar”, garantiu.

Com informações da Folha

 

Comente!

comentário