Criador da Web fala sobre combate ao uso indevido de dados pessoas e notícias falsas

Reprodução: Google
Tim Berners-Lee é um físico britânico que idealizou o World Wide Web (WWW) e foi capa dos noticiários dos últimos dias ao defender o combate ao uso indevido de dados pessoais e às notícias falsas que circulam pela internet. A afirmação foi feita em uma carta, que a princípio, era para marcar os 28 anos da invenção da web.

“Nós perdemos o controle sobre nossos dados pessoais, é muito fácil difundir desinformação na web e a propaganda política precisa de transparência”, ela afirmou.

Ele afirmou que quer atuar com empresas e usuários que vão encontrar soluções práticas para que a web continue sendo uma ferramenta que “dê igual poder e oportunidade a todos”. Para ele, é preciso que as próprias empresas “coloquem um nível justo de controle de dados de volta nas mãos das pessoas”.

“Quando nossos dados são armazenados em espaços particulares, longe de nosso alcance, perdemos as benesses que poderíamos ter caso tivéssemos controle direto sobre os dados e escolhêssemos quando e com quem gostaríamos de compartilhá-los. Além disso, muitas vezes não temos meios de contatar as empresas sobre os dados que não queremos compartilhar – especialmente com terceiros. Os termos e as condições de uso normalmente são tudo ou nada”, escreveu.

Reprodução: Google

Quanto às notícias falsas, esse é um tema muito desafiador, conforme Lee. “O resultado é que esses sites mostram conteúdo que acreditam que nós vamos querer clicar – o que significa que a desinformação ou então as ‘notícias falsas‘, também chamadas de Fake News, são criadas para apelar aos nossos preconceitos, e podem se espalhar como fogo”.

Assim, na opinião do criador da Web, a solução é incentivar portais grandes, como o Google e o Facebook, a se comprometerem a combater o problema. No entanto, os órgãos centrais é quem vão decidir o que é verdadeiro e o que não é, e que, obviamente, deveria ser evitado, diz ele.

Leia Também:

5 Mulheres Importantes da História da Tecnologia

Com informações do G1

Comente!

comentário